Os delirios de consumo de Becky Bloom

Publicado junho 11, 2010 por Its Cah

Descobri esse filme vendo o Trailer de “Lua Nova” e procurei pra assistir, e é muito bom! Já vi faz um tempo, mas hoje deu vontade de ficar em casa e assistir ele de novo, é muito bom mesmo, vale apena 😉

Difícil não se identificar ou conhecer alguém que tenha o perfil da protagonista da série de livros Os delírios de consumo de Becky Bloom, romance de estreia da escritora Sophie Kinsella.  Exemplo de literatura divertida tendo como público alvo o feminino, a personagem de Sophie Kinsella se diferencia no gênero levando-se em conta que a nossa protagonista não está buscando o grande amor de sua vida, embora no decorrer da série ela o tenha encontrado. Becky está muito mais preocupada com o seu mundinho: seu trabalho, seus amigos e, é claro, as compras. Os livros narram as aventuras desta carismática consumista que para embasar à sua ânsia por saias, sapatos, bolsas e móveis de grife se mete em inúmeras confusões.

Livro 1: Os delírios de consumo de Becky Bloom


O primeiro livro da série conta a história de Rebecca Bloom, uma garota londrina de 25 anos que acabou de se formar, é jornalista especializada no mercado financeiro e trabalha como colunista para uma revista dando conselho sobre finanças.

No entanto ela é consumidora compulsiva e se enforca em dívidas. Bem ao estilo “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, Becky se envolve em inúmeras confusões, enquanto mantém uma coluna para leitores controlarem seus gastos, foge de seu gerente de banco como o diabo da cruz e inventa fórmulas mirabolantes (quase sempre mal-sucedidas) para quitar seus cartões de crédito.

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é um pouco da história de todas as pessoas para as quais comprar é quase uma terapia, a resposta para todos os problemas, mesmo criando outros piores ainda. Entre eles, inventar a próxima desculpa para o gerente do banco (As desculpas que ela arranja para não falar com o gerente são impagáveis) – “Meu pé quebrou! Você não recebeu meu cheque? Meu cachorro morreu!”, são alguns dos argumentos usados por Becky para enrolar seu gerente Derek Smeath.

Mas a personagem de Sophie Kinsella não é apenas uma “material girl” que só pensa em dinheiro e futilidades. Rebecca é sensível, carinhosa e extremamente otimista. Com essas qualidades, ela vai fazer de tudo para resolver seu problema. Primeiro, tenta reduzir seus gastos a zero, o que logicamente, não funciona. Diante disso, ela resolve que precisa ganhar mais dinheiro, mesmo sabendo que seu emprego está ameaçado. Nos delírios de consumo de Becky, todos os seus problemas se resolveriam de imediato ao ganhar na loteria, ou se um completo estranho pagasse sua conta do Visa, por engano, claro.

Becky mora em um apartamento que divide com sua amiga Suze, que não é tão consumista quanto ela mas que é igualmente louca (As cenas de Suze ajudando Becky a fugir do gerente e das cobranças são ótimas). Por fim, como se não bastasse em meio a tanta confusão, Becky ainda arruma tempo para se apaixonar pelo dono da mais bem sucedida empresa de RP de Londres, o sedutor e expert em finanças Luke Brandon.

Livro 2: Delírios de consumo na 5ª avenida

Becky finalmente conseguiu superar as crises financeiras. Neste novo romance, suas contas foram equacionadas e ela ainda ganhou um programa de TV e um namorado perfeito.

Mais a velha compulsão consumista teima em incomodá-la com novos problemas, desta vez em Nova York.

Seu namorado Luke Brandon, isso mesmo, o ricaço boa-pinta dono da mais bem sucedida empresa de RP de Londres que a nossa querida Becky conquistou no primeiro livro da série, está de mudança para Nova York e convidou-a para ir com ele.

Imaginem o que acontece quando os cartões de crédito de Becky conhecem as vitrines e liquidações nova-iorquinas: muitas compras e dívidas impagáveis. E para piorar ela perde o namorado, o programa de TV e o crédito…

E agora, será que Becky vai conseguir sair desta? Com certeza ela vai tentar e como sempre, com muito bom humor. Nesta continuação é bom já ir se preparando para novas intermináveis risadas pois com Sophie Kinsella as continuações superam nossas expectativas.

“Cara Srta. Bloom Fico feliz em saber que minha carta de 18 de julho foi útil. Entretanto, agradeceria se a Srta. deixasse de se referir pessoalmente a mim em seu programa de televisão como Doce Smeathie e melhor gerente de banco do mundo.”

Livro 3: As listas de casamento de Becky Bloom

Becky conseguiu! Pela primeira vez a vida da nossa protagonista parece estar nos trilhos. Ela conseguiu um emprego de consultora de compras, no qual gasta o dinheiro de outras pessoas, e ainda é paga por isso. Mora num ótimo apartamento em Manhattan com Luke, o homem de sua vida, com quem abriu até mesmo conta conjunta!

Mas então Luke a pede em casamento. E a confusão se instala na vida do casal. O que seria um sonho para a maioria das garotas torna-se um pesadelo para Becky, que não conseguindo se decidir entre um casamento simples na igreja da família ou um casamento espetacular no Plaza em Nova York acaba marcando as duas cerimônias, no mesmo dia… no mesmo horário.

O problema é que a sua mãe, na Inglaterra, fica louca com o casamento e começa, no dia seguinte, a fazer os preparativos para um típico casamento inglês, ou seja, depois da celebração na igreja uma mimosa tenda com todos os familiares no quintal de casa será o ponto alto da festa.

No entanto a mãe de Luke, Elionor Shermann, rica e poderosa socialite mas que nunca esteve nem aí para o filho, resolve fazer uma surpresa e dar o casamento dos sonhos para o seu filho e sua nora. Com direito a salão do Plaza Hotel, orquestra sinfônica, uma festa digna de princesa… Em Nova York.

Becky, é claro, não consegue recusar o segundo. Mas também não consegue negar a primeira opção.

Ela não quer decepcionar os pais desmarcando o casamento e tem pavor de enfrentar a sogra Elinor que dará toda a festa em Nova York. Becky sonha com um casamento simples, com toda a família em sua casa, mas claro, não dispensaria um casamento de princesa, com todo o luxo, glamour e os melhores designers de Nova York.

Sua amiga Suze tenta ajudar a acabar com a confusão antes que seja tarde demais, seu amigo Danny, que sonha em ser um estilista de sucesso, está fazendo o vestido para o casamento no Plaza, sua mãe quer que ela use o mesmo vestido com o qual ela casou e Luke, lógico, não sabe de nada.

Agora ela tem um noivo estressado, um apartamento entulhado de móveis desnecessários, presentes de casamento, e convidados para duas cerimônias, uma em cada lado do Atlântico.

Becky, logicamente, diz que casamento é uma coisa muito importante e acontece somente uma vez na vida, então como é que ela poderia usar somente um vestido? Uma coisa realmente muito injusta!

“Cara Srta. Bloom,
Obrigada por sua carta de 4 de janeiro referente a conta conjunta com o Sr. Luke J. Brandon, e pelos chocolates, que terei de devolver. Concordo que é difícil manter registros de cada comprinha e lamentei saber que um pequenino desentendimento incomum surgiu entre vocês. Infelizmente é impossível dividir o extrato ao meio como a senhorita sugere, mandando metade para a senhorita e metade para o Sr. Brandon e guardar nosso segredinho. Todos os créditos e débitos são listados juntos. Por isso chama-se conta conjunta.”

Livro 4: A irmã de Becky Bloom

Depois de passar quase um ano viajando pelo mundo numa maravilhosa lua-de-mel com seu marido Luke. Becky Brandon (né Bloom) volta para Londres e entulha o apartamento com suas “compras de lua-de-mel”, como por exemplo, duas mesas indianas com dez cadeiras cada, ovos japoneses pintados à mão, 20 roupões de seda comprados em Hong Kong, um par de girafas africanas esculpidas em madeira e outras coisinhas do gênero.

Isso seria apenas um pequeno detalhe se algumas coisas não estivessem como ela esperava. Sua melhor amiga Suze tem uma nova melhor amiga e seu pai tem uma… filha. Mas Becky não é filha única? Pois é! No entanto essa surpreendente novidade não a abalou. Ela fica ansiosa para conhecer a sua “irmã há muito perdida e agora encontrada”, mas leva um choque ao descobrir que Jess O-D-E-I-A fazer compras e que é totalmente o seu oposto! Resumindo: Muitas cenas hilárias, como não poderia faltar e algumas outras cenas emocionantes, para não dizer surpreendentes (Com direito a Becky Bloom escalando uma enorme montanha no meio do nada usando apenas um conjuntinho de saia e blusa e a sua nova sandália de saltos finos Jimmy Choo)

Livro 5: O chá de Bebê de Becky Bloom

Eu falei que o livro anterior era surpreendente? Pois esqueça! Não é nada perto desse aqui. O quinto livro é simplesmente emocionante e contagiante. Na minha opinião esse livro é o melhor de toda a série.

Becky e Luke descobrem que terão um bebé, e ela, é claro, começa a comprar mil coisas para ele. Berços, roupas, carrinhos… sempre há uma versão melhor do que a que ela já tem.

O casal faz o acompanhamento com o Dr. Braine, médico amigo da família há longa data, mas Becky, na ânsia de ser a melhor grávida da Inglaterra, resolve mudar para a Dra. Venetia Carter, que com suas terapias holísticas e suas clientes famosas é a obstetra do momento e de todas as celebridades.

No entanto o único defeito dela é ser a ex-namorada de Luke. Claro, Becky não sabia desse relevante detalhe até ir na primeira consulta com o marido e se deparar com a glamourosa obstetra de farta cabeleira ruiva mencionando esse detalhe sem nenhum constrangimento e uma certa intimidade.

Luke parece não se abalar com as supostas indiretas da obstetra sobretudo porque ele está mais do que empolgado com a chegada do filho. No entanto uma inesperada amizade entre ele e Venetia começa a ressurgir e a atormentar Becky. Eles trocam mensagens em latim (as mensagens do professor de latim que Becky contrata para traduzir são hilárias) e começam a sair juntos… enquanto isso a barriga de Becky cresce mais e mais, o que a impossibilita de acompanhar Luke.

E esse não é o único problema, a loja onde ela trabalha como compradora pessoal está em crise, na verdade ela nunca decolou, o que é motivo de piadas entre a mídia e os londrinos.

Além dos problemas da Brandon Communication, empresa de Luke, que se expandiu por toda a Europa rapidamente devido ao contrato com o banco Arcodas e agora precisa de lastro para seguir adiante… e os caras do Arcodas não são realmente as pessoas mais confiáveis e fáceis de lidar.

Mesmo diante de todos os conflitos Becky Brandon (né Bloom) não se abala. Para resolver o problema da loja onde trabalha Becky chama Danny Krovitz, seu amigo de Nova York que fez o seu vestido de casamento do Plaza e que agora virou um renomado e reconhecido estilista internacional.

Sem mencionar que quando chega a Londres e ouvi a peculiar história de Becky e da obstetra Dra. Cruela Cruel, batizada assim pelo próprio Danny, ele cria como projeto de roupa uma camiseta fashion com o slogan em letras purpurinadas: “ELA É UMA VACA RUIVA E EU A ODEIO!”

Becky é claro se desespera, porque essas foram suas próprias palavras para definir Vanetia á Danny. A blusa é um sucesso e levanta as vendas da loja, no entanto todas as garotas de Londres tem a sua frase estampada no peito. E o que aconteceria se Venetia, ou ainda pior, Luke visse? Já que Becky ainda não tem certeza se o marido a está traindo, mesmo tendo contratado os serviços de um detetive particular….

Pois é! Becky parece ter entrado novamente numa enorme enrascada e ainda por cima grávida, apenas com alguns poucos meses restantes para dar a luz.

Como sua amiga Suze mesmo se perguntou: “Será mesmo que Becky vai ter coragem de deixar Vanetia fazer o parto do próprio filho sabendo que ela pode estar tendo um caso com seu marido? ” – ”Eu não perderia esse parto por nada!”, conclui Danny…

Comentário da Autora das resenhas:

Enfim, o resultado disso é um livro hilariante, emocionante e intenso. Tão intenso que eu tive de fazer uma pausa na parte mais crítica, se não eu não aguentaria. A vontade de ler a última página era demais, mas acabei resistindo xD

Lembro que quando li a primeira vez O chá de bebé não consegui largar antes de chegar ao final, fiquei até tarde da noite lendo, tendo inúmeras crises de riso e perdi a hora no outro dia =D

Como já deu para perceber sou fã de carteirinha da Becky, a série é contagiante, divertida e romântica. E nada melhor do que umas boas risadas para deixar os nossos estresses do cotidiano de lado.

Fora que o diferencial dos livros de Becky Bloom são os dilemas que parecem impossíveis de acontecer na vida de um ser humano. Tudo rola com Becky, todos os problemas mais banais do mundo se tornam uma questão de vida ou morte para ela. Sem contar as cartas, no começo dos capítulos, que dão todo um charme. Eu sempre me pego rindo sem parar quando leio qualquer um dos 5 livros que comprei da série.

A autora Sophie Kinsella foi jornalista financeira por vários anos e agora se dedica apenas a carreira de escritora. Além dos cinco livros da série Delírios de Consumo de Becky Bloom, Kinsella também é autora dos livros Os segredos de Emma Corrigan (Livro esse que já li e recomendo), Lembra de Mim? (Livro que também já li e também recomendo), Samantha, a executiva do lar e seu mais recente romance lançado em meados do ano passado chamado Twenties Girl (Ainda não lançado no Brasil e sem tradução para o português)

Numa entrevista Kinsella afirmou que sempre gostou muito de fazer compras, mas que ninguém é tão louca quanto Becky, no entanto confessou que emprestou uma ou outra experiência particular à personagem: – “Tenho meus momentos Becky!”, admite a autora.

O fato é que a série Os delírios de consumo de Becky Bloom ficou mais de um ano consecutivo na lista de livros mais vendidos da Europa, do Canadá e dos Estados Unidos. Vendeu mais de 15 milhões de cópias, foi traduzido para mais de 20 idiomas e recentemente virou filme patrocinado pelos estúdios Disney.O filme com o título Os delírios de Consumo de Becky Bloom lançado nos cinemas em abril do ano passado, é baseado no livro 1 e 2 da série. Mesclando várias cenas das narrativas dos dois livros e mudando muita coisa na história para a adaptação cinematográfica.  .

Trailer do Filme “Os delírios de Consumo de Becky”:

Leia e divirta-se muito com Becky,  e esconda seus cartões de créditos antes de começar 😉

2 comentários em “Os delirios de consumo de Becky Bloom

  • Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s

    %d blogueiros gostam disto: